Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

LGBTs debatem os desafios enfrentados na construção da Reforma Agrária

LGBTs Sem Terra vêm realizando diversas atividades de estudos e debates

Escrito por: MST • Publicado em: 06/01/2016 - 12:24 Escrito por: MST Publicado em: 06/01/2016 - 12:24

Reprodução

Mais de 50 gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais Sem Terra estarão reunidos na próxima segunda-feira (11), no Parque de Exposição, em Salvador, para realizar a 1º Roda de Conversa com os LGBT Sem Terra. 


Com o tema “Reforma agrária e relações de gênero: desafios para a construção de um projeto popular” a roda de conversa pretende debater a identidade de gênero e o fortalecimento da Reforma Agrária Popular através da inserção e o protagonismo dos sujeitos LGBT.


A atividade acontecerá durante o 28º Encontro Estadual do MST na Bahia que estará mobilizando cerca de 1.500 trabalhadores rurais Sem Terra, de dez regiões do estado, entre os dias 10 e 13. 


De acordo com Tiago Hungria, do coletivo de gênero do MST, vivemos um cenário político que é preciso agregar todos os trabalhadores, que estão nos assentamentos e acampamentos, nos debates em torno da construção da Reforma Agrária em nosso país.


“Para isso é necessário pautar a participação, o protagonismo e construir de maneira auto organizada espaços em que as opressões possam ser colocadas em cheque para serem superadas”, destaca Hungria. 


Auto-organização 


Os LGBTs Sem Terra vêm realizando diversas atividades de estudos e debates, a fim de acumular politicamente em torno das relações de gênero e como esta influência diretamente nas vivências dos sujeitos nas áreas de Reforma Agrária.


Nacionalmente, o Movimento construiu o Seminário MST e a Diversidade Sexual, um grupo de estudos na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) e diversas intervenções políticas e espaços auto organizados nos estados.


Na Bahia, os LGBTs e o coletivo de juventude e comunicação realizaram durante dois anos consecutivos uma agitação e propaganda contra a LGBTfobia nas marchas estaduais do MST. 

Título: LGBTs debatem os desafios enfrentados na construção da Reforma Agrária, Conteúdo: Mais de 50 gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais Sem Terra estarão reunidos na próxima segunda-feira (11), no Parque de Exposição, em Salvador, para realizar a 1º Roda de Conversa com os LGBT Sem Terra.  Com o tema “Reforma agrária e relações de gênero: desafios para a construção de um projeto popular” a roda de conversa pretende debater a identidade de gênero e o fortalecimento da Reforma Agrária Popular através da inserção e o protagonismo dos sujeitos LGBT. A atividade acontecerá durante o 28º Encontro Estadual do MST na Bahia que estará mobilizando cerca de 1.500 trabalhadores rurais Sem Terra, de dez regiões do estado, entre os dias 10 e 13.  De acordo com Tiago Hungria, do coletivo de gênero do MST, vivemos um cenário político que é preciso agregar todos os trabalhadores, que estão nos assentamentos e acampamentos, nos debates em torno da construção da Reforma Agrária em nosso país. “Para isso é necessário pautar a participação, o protagonismo e construir de maneira auto organizada espaços em que as opressões possam ser colocadas em cheque para serem superadas”, destaca Hungria.  Auto-organização  Os LGBTs Sem Terra vêm realizando diversas atividades de estudos e debates, a fim de acumular politicamente em torno das relações de gênero e como esta influência diretamente nas vivências dos sujeitos nas áreas de Reforma Agrária. Nacionalmente, o Movimento construiu o Seminário MST e a Diversidade Sexual, um grupo de estudos na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) e diversas intervenções políticas e espaços auto organizados nos estados. Na Bahia, os LGBTs e o coletivo de juventude e comunicação realizaram durante dois anos consecutivos uma agitação e propaganda contra a LGBTfobia nas marchas estaduais do MST. 



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.