Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Nota de repúdio contra a falácia de Temer sobre Direitos Humanos

CUT repudia artigo de Temer publicado no jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (10)

Escrito por: CUT • Publicado em: 10/03/2017 - 18:51 Escrito por: CUT Publicado em: 10/03/2017 - 18:51

Foto: CUT

A Central Única dos Trabalhadores-CUT, vem a público externar seu veemente repúdio à falácia apresentada por Michel Temer no texto “O Brasil e os Direitos Humanos”, publicado no dia de hoje na Folha de São Paulo.

Ao celebrar a presença atual do Brasil no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU), o presidente golpista, fala sobre direitos humanos como se verdadeiramente os respeitasse.  

Neste período no qual vivemos um golpe, com notória redução de direitos sociais através de medidas provisórias e projetos de leis mirabolantes, o governo ilegítimo  pratica o desmonte das estruturas democráticas de direitos humanos do Estado brasileiro obstruindo a  participação popular e criminalizando os movimentos sociais, intensificando o autoritarismo e as violações de direitos humanos mais básicas.

  O texto é contraditório a prática do governo golpista. Ele não respeita a Constituição e o Estado democrático, privilegia os setores mais abastados da sociedade e destrói os mecanismos que protegem a população mais pobre, pretende destruir a previdência e acabar com o direito das mulheres de se aposentar, vai destruir a CLT e acabar com os direitos que a classe trabalhadora levou séculos para conquistar. A dita “austeridade fiscal para os direitos humanos” é praticada sim, pela retirada de recursos das políticas públicas para a população que dela mais necessita sob a alegação de que este é o caminho para um Estado mais justo.

A “irresponsabilidade fiscal” e social significa manter um empresariado sonegador impune, que pretende destruir a Previdência Social Pública no país, beneficiando exclusivamente a reprodução do capital que detém o domínio e consequente lucro com o sistema de previdência privada. De acordo com o DIEESE, “o estoque da dívida ativa previdenciária atingiu o montante de R$ 432,9 bilhões em janeiro de 2017 e continua crescendo a um ritmo de aproximadamente 15% ao ano”.

Não aceitamos o que esse conjunto de golpistas está fazendo contra a democracia, os direitos humanos e a classe trabalhadora em nosso país e nas instâncias internacionais, assim nos colocamos contra o desqualificado pronunciamento do Golpista Temer sobre Direitos Humanos.

Contra a reforma da previdência

Contra a reforma trabalhista

Por nenhum direito a menos.

Executiva Nacional da CUT

Título: Nota de repúdio contra a falácia de Temer sobre Direitos Humanos, Conteúdo: A Central Única dos Trabalhadores-CUT, vem a público externar seu veemente repúdio à falácia apresentada por Michel Temer no texto “O Brasil e os Direitos Humanos”, publicado no dia de hoje na Folha de São Paulo. Ao celebrar a presença atual do Brasil no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU), o presidente golpista, fala sobre direitos humanos como se verdadeiramente os respeitasse.   Neste período no qual vivemos um golpe, com notória redução de direitos sociais através de medidas provisórias e projetos de leis mirabolantes, o governo ilegítimo  pratica o desmonte das estruturas democráticas de direitos humanos do Estado brasileiro obstruindo a  participação popular e criminalizando os movimentos sociais, intensificando o autoritarismo e as violações de direitos humanos mais básicas.   O texto é contraditório a prática do governo golpista. Ele não respeita a Constituição e o Estado democrático, privilegia os setores mais abastados da sociedade e destrói os mecanismos que protegem a população mais pobre, pretende destruir a previdência e acabar com o direito das mulheres de se aposentar, vai destruir a CLT e acabar com os direitos que a classe trabalhadora levou séculos para conquistar. A dita “austeridade fiscal para os direitos humanos” é praticada sim, pela retirada de recursos das políticas públicas para a população que dela mais necessita sob a alegação de que este é o caminho para um Estado mais justo. A “irresponsabilidade fiscal” e social significa manter um empresariado sonegador impune, que pretende destruir a Previdência Social Pública no país, beneficiando exclusivamente a reprodução do capital que detém o domínio e consequente lucro com o sistema de previdência privada. De acordo com o DIEESE, “o estoque da dívida ativa previdenciária atingiu o montante de R$ 432,9 bilhões em janeiro de 2017 e continua crescendo a um ritmo de aproximadamente 15% ao ano”. Não aceitamos o que esse conjunto de golpistas está fazendo contra a democracia, os direitos humanos e a classe trabalhadora em nosso país e nas instâncias internacionais, assim nos colocamos contra o desqualificado pronunciamento do Golpista Temer sobre Direitos Humanos. Contra a reforma da previdência Contra a reforma trabalhista Por nenhum direito a menos. Executiva Nacional da CUT



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.