Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

PR: Justiça declara legal greve desta quarta-feira

Tribunal nega liminar que pretendia impedir greve de motoristas e cobradores em Curitiba

Escrito por: Blog do Esmael • Publicado em: 15/03/2017 - 03:19 • Última modificação: 15/03/2017 - 03:36 Escrito por: Blog do Esmael Publicado em: 15/03/2017 - 03:19 Última modificação: 15/03/2017 - 03:36

Divulgação Motoristas e cobradores têm greve declarada legal

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT 9) considerou legal a greve desta quarta-feira, dia 15 de março.

A corte negou liminar à Associação Comercial do Paraná (ACP) que pedia liminar proibindo a greve de motoristas e cobradores em Curitiba e região metropolitana.

A categoria vai iniciar a paralisação na manhã desta quarta, mas não tem prazo para retornar ao trabalho.

Os trabalhadores são contra a reforma da previdência (fim da aposentadoria) e têm pauta própria de reivindicações, bem como as demais categorias no movimento paredista.

Além de 12 mil motoristas e cobradores, nesta quarta, também entram em greve por tempo indeterminado 75 mil educadores da educação básica estadual, policiais civis, servidores da saúde, professores e servidores públicos municipais, dentre outras áreas das administrações municipal e estadual.

Funcionários públicos federais — do INSS e Correios — se somarão à paralisação.

A lista ainda tem bancários e metalúrgicos.

A concentração principal dos grevistas ocorrerá a partir das 9 horas na Praça Santos Andrade (UFPR).

Título: PR: Justiça declara legal greve desta quarta-feira, Conteúdo: O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT 9) considerou legal a greve desta quarta-feira, dia 15 de março. A corte negou liminar à Associação Comercial do Paraná (ACP) que pedia liminar proibindo a greve de motoristas e cobradores em Curitiba e região metropolitana. A categoria vai iniciar a paralisação na manhã desta quarta, mas não tem prazo para retornar ao trabalho. Os trabalhadores são contra a reforma da previdência (fim da aposentadoria) e têm pauta própria de reivindicações, bem como as demais categorias no movimento paredista. Além de 12 mil motoristas e cobradores, nesta quarta, também entram em greve por tempo indeterminado 75 mil educadores da educação básica estadual, policiais civis, servidores da saúde, professores e servidores públicos municipais, dentre outras áreas das administrações municipal e estadual. Funcionários públicos federais — do INSS e Correios — se somarão à paralisação. A lista ainda tem bancários e metalúrgicos. A concentração principal dos grevistas ocorrerá a partir das 9 horas na Praça Santos Andrade (UFPR).



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.