Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Rurais da FETRAF ocupam o INCRA na manhã desta segunda (20)

Uma luta pelo direito a terra e que possibilite o trabalho de várias famílias da região

Escrito por: CONTRAF Brasil • Publicado em: 20/03/2017 - 18:53 Escrito por: CONTRAF Brasil Publicado em: 20/03/2017 - 18:53

CONTRAF Brasil

Na manhã desta segunda-feira (20.03) cerca de 300 trabalhadores, acampados e assentados da reforma agrária do estado de Goiás ocuparam o INCRA na cidade de Goiânia, num ato de indignação a morosidade nos processos de pagamento das áreas de reforma agrária. A lentidão afeta principalmente os acampados que aguardam a terra para produzir e ter o meio de renda.

Segundo as lideranças da FETRAF-GO alguns dos processos, que passaram por vistoria em 2016, já estão com decreto vencido. Além disso, há outros problemas de morosidade como a liberação da Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP) - que é o documento de identificação da agricultura familiar, seleção e homologação das famílias nos assentamentos, autorização para as famílias assentadas, sem falar na falta de infraestrutura, água e estrada nas áreas.

As lideranças entregaram pela manhã a pauta de reivindicações para o superintendente do INCRA regional, que está agendando com a direção nacional do INCRA uma agenda em Brasília, já que as questões a serem tratadas são de âmbito nacional.

“Uma das nossas preocupações é justamente com o edital que trata da seleção das famílias acampadas, que deve ser publicado nos próximos dias, sem o diálogo com os movimentos”, explica Gerailton Ferreira dos Santos, coordenador de Reforma Agrária e Meio Ambiente da Fetraf de Goiás.

A ocupação da Agricultura Familiar irá permanecer no INCRA de Goiânia até que a agenda com a direção nacional do INCRA seja marcada.

 

 

Título: Rurais da FETRAF ocupam o INCRA na manhã desta segunda (20), Conteúdo: Na manhã desta segunda-feira (20.03) cerca de 300 trabalhadores, acampados e assentados da reforma agrária do estado de Goiás ocuparam o INCRA na cidade de Goiânia, num ato de indignação a morosidade nos processos de pagamento das áreas de reforma agrária. A lentidão afeta principalmente os acampados que aguardam a terra para produzir e ter o meio de renda. Segundo as lideranças da FETRAF-GO alguns dos processos, que passaram por vistoria em 2016, já estão com decreto vencido. Além disso, há outros problemas de morosidade como a liberação da Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP) - que é o documento de identificação da agricultura familiar, seleção e homologação das famílias nos assentamentos, autorização para as famílias assentadas, sem falar na falta de infraestrutura, água e estrada nas áreas. As lideranças entregaram pela manhã a pauta de reivindicações para o superintendente do INCRA regional, que está agendando com a direção nacional do INCRA uma agenda em Brasília, já que as questões a serem tratadas são de âmbito nacional. “Uma das nossas preocupações é justamente com o edital que trata da seleção das famílias acampadas, que deve ser publicado nos próximos dias, sem o diálogo com os movimentos”, explica Gerailton Ferreira dos Santos, coordenador de Reforma Agrária e Meio Ambiente da Fetraf de Goiás. A ocupação da Agricultura Familiar irá permanecer no INCRA de Goiânia até que a agenda com a direção nacional do INCRA seja marcada.    



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.