Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Trabalhadores de Lagarto aprovam indicativo de greve geral

Motivo da greve é o atraso do pagamento do salário de janeiro que ainda não foi pago

Escrito por: Iracema Corso • Publicado em: 12/02/2016 - 17:09 • Última modificação: 12/02/2016 - 17:12 Escrito por: Iracema Corso Publicado em: 12/02/2016 - 17:09 Última modificação: 12/02/2016 - 17:12

CUT Sergipe

Dois sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), o SINDLAGARTO (Sindicato dos Servidores Públicos de Lagarto) e o SINTESE (Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Sergipe) realizaram uma assembleia geral na manhã desta quinta-feira, 11/2, que aprovou o indicativo de greve geral para a próxima semana. O motivo da greve é o atraso do pagamento do salário de janeiro que até o presente momento não foi efetuado.

Mais de 200 trabalhadores de várias categorias presentes na assembleia votaram pela realização de um ato público e marcha pelas ruas da cidade de Lagarto na manhã do dia 18 de fevereiro. A concentração será em frente à sede do SINTESE em Lagarto, o mesmo local onde foi realizada a assembleia conjunta na manhã desta quinta.

Diretor da Federação Estadual dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal (FETAM e dirigente do Sindicato de Servidores Públicos de Poço Verde, João Fonseca destacou que no dia 1º de fevereiro houve protesto na porta da Prefeitura e a administração informou aos dirigentes sindicais que os salários de todos os trabalhadores seriam regularizados até o dia 10, o que não foi cumprido. O dirigente participou da assembleia geral e observou que a mobilização em Lagarto é crescente. “É muito positivo ver a união dos trabalhadores na defesa dos seus direitos. Sindicatos menores que participam desta luta precisam de apoio e da FETAM presente para fortalecer esta luta”.

Dirigente do SINDLAGARTO, Cláudio Lima revela que o município de Lagarto tem mais de mil servidores públicos revoltados com a frequência do atraso no pagamento de seus salários. “Desde outubro de 2015 estamos sofrendo com atraso no pagamento dos nossos salários. Recebemos o 13º parcelado, enquanto os servidores da saúde nem sequer receberam. O salário de dezembro foi pago no dia 30 de janeiro. Ou seja, trabalhamos dois meses seguidos para receber a remuneração de um mês. A insatisfação chegou ao limite. E nenhum trabalhador de nenhuma categoria recebeu o salário de janeiro em Lagarto. É algo sério que afeta famílias inteiras e atinge diretamente a economia da cidade. Por isso estamos mobilizados para a construção de uma greve forte no município a partir do dia 18”, denunciou.

Título: Trabalhadores de Lagarto aprovam indicativo de greve geral, Conteúdo: Dois sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), o SINDLAGARTO (Sindicato dos Servidores Públicos de Lagarto) e o SINTESE (Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Sergipe) realizaram uma assembleia geral na manhã desta quinta-feira, 11/2, que aprovou o indicativo de greve geral para a próxima semana. O motivo da greve é o atraso do pagamento do salário de janeiro que até o presente momento não foi efetuado. Mais de 200 trabalhadores de várias categorias presentes na assembleia votaram pela realização de um ato público e marcha pelas ruas da cidade de Lagarto na manhã do dia 18 de fevereiro. A concentração será em frente à sede do SINTESE em Lagarto, o mesmo local onde foi realizada a assembleia conjunta na manhã desta quinta. Diretor da Federação Estadual dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal (FETAM e dirigente do Sindicato de Servidores Públicos de Poço Verde, João Fonseca destacou que no dia 1º de fevereiro houve protesto na porta da Prefeitura e a administração informou aos dirigentes sindicais que os salários de todos os trabalhadores seriam regularizados até o dia 10, o que não foi cumprido. O dirigente participou da assembleia geral e observou que a mobilização em Lagarto é crescente. “É muito positivo ver a união dos trabalhadores na defesa dos seus direitos. Sindicatos menores que participam desta luta precisam de apoio e da FETAM presente para fortalecer esta luta”. Dirigente do SINDLAGARTO, Cláudio Lima revela que o município de Lagarto tem mais de mil servidores públicos revoltados com a frequência do atraso no pagamento de seus salários. “Desde outubro de 2015 estamos sofrendo com atraso no pagamento dos nossos salários. Recebemos o 13º parcelado, enquanto os servidores da saúde nem sequer receberam. O salário de dezembro foi pago no dia 30 de janeiro. Ou seja, trabalhamos dois meses seguidos para receber a remuneração de um mês. A insatisfação chegou ao limite. E nenhum trabalhador de nenhuma categoria recebeu o salário de janeiro em Lagarto. É algo sério que afeta famílias inteiras e atinge diretamente a economia da cidade. Por isso estamos mobilizados para a construção de uma greve forte no município a partir do dia 18”, denunciou.



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.