Sindicalista pede que o mundo seja solidário à classe trabalhadora brasileira

06/11/2017 - 15:45

Apelo foi feito pela sindicalista Jucélia Vargas, no Congresso Mundial da ISP.

Encerrado nesta sexta-feira (3), em Genebra, na Suíça, o 30º Congresso Mundial da Internacional de Serviços Públicos (ISP) foi palco de protestos contra o golpe parlamentar que colocou à venda o Estado, a soberania e as riquezas da Nação brasileira.

“Queria aproveitar esse plenário com pessoas de todo o mundo para pedir socorro ao Brasil, que vive um momento da sua história muito triste. Um Congresso machista, racista, homofóbico e corrupto, em pouco tempo, tem produzido uma legislação que coloca abaixo anos de luta, de sangue, suor e lágrimas de muitos trabalhadores e trabalhadoras brasileiras”, discursou Jucélia Vargas, secretária-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT).

Querem as nossas mãos e as nossas mentes

Ela se referia a aprovação da reforma trabalhista e da terceirização sem limite pelo Parlamento. A dirigente da Confetam/CUT também denunciou a Portaria do Ministério do Trabalho que dificulta a fiscalização do trabalho escravo no país e as mudanças feitas pelos parlamentares na legislação educacional.  

“Querem as nossas mãos para fazer trabalho escravo, querem as nossas mentes mexendo na legislação da educação infantil ao nível superior, impedindo a escola democrática, impedindo que os professores tenham liberdade de ensinar. Nós, da classe trabalhadora brasileira, sempre fomos solidários com o mundo. Precisamos que o mundo seja solidário à classe trabalhadora”, convocou Jucélia Vargas sob aplausos.

Plano de ação para igualdade de oportunidades

A secretária-geral da entidade defendeu políticas públicas voltadas para a garantia de direitos, levando em consideração a individualidade e as especificidades das populações. Mas, para isso, é preciso derrotar o golpe e restabelecer a democracia no Brasil. “É preciso ganhar desses golpistas, para que possamos colocar em prática o Plano de Ação da ISP e construir de verdade uma nação, um mundo, um planeta de igualdade de oportunidades”, disse.

Jucélia Vargas denunciou ainda o monopólio da mídia brasileira, principal artífice do impeachment ilegal da presidenta Dilma Rousseff, e conclamou dirigentes sindicais de mais de 100 países presentes a divulgarem a verdadeira narrativa do golpe parlamentar que destituiu a primeira mulher eleita presidenta na História do Brasil. “É preciso ganhar a narrativa, disputar a comunicação em cada canto da periferia”.  

Participação do Ramo dos Municipais

Uma delegação de 17 servidores de seis estados brasileiros – São Paulo, Ceará, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Maranhão e Santa Catariana -, representou o Ramo dos Municipais no 30º Congresso Mundial da ISP.

Conheça nossa delegação:

Fetram/SC: Jucélia Varga, secretária-geral da Confetam/CUT

Fetamce: Enedina Soares, Socorro Freitas e Rafael Fernandes

Fetam/SP: Juneia Batista, Paula Leite, secretária de Finanças da Confetam/CUT, Sergio Antiqueira, Lourdes Estevão, Luciano Nascimento, Rodrigo Gomes e Solange Ribeiro

Fetam/MG: Helenir Lima e Sirlene Moura, integrante do Conselho Fiscal da Confetam/CUT

Fetam/RN: Assis Filho, secretário de Relações Internacionais da Confetam/CUT, e Eurian Leite

Fetram/MA: José Carlos