Trabalhadores na Ford iniciam paralisações contra demissão de 364 metalúrgicos

11/08/2017 - 15:47

Montadora desligou 364 e rompeu negociações com sindicato


Em assembleia realizada na manhã desta sexta-feira (11) os trabalhadores na Ford iniciaram um processo de mobilização contra as demissões de 364 metalúrgicos, que estavam em lay-off (suspensão temporária de contratos de trabalho). Os desligamentos foram anunciados pela fábrica ontem (quinta-feira, 10). Hoje ficará parado o setor de estamparia da fábrica, área considerada estratégica por dificultar o restante da produção.

Segundo o coordenador do comitê sindical na empresa, José Quixabeira de Anchieta, a montadora agiu de forma irresponsável ao romper as negociações com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e anunciar as demissões, sendo que o acordo coletivo em vigor - negociado no final de 2015 – garante estabilidade no emprego até janeiro de 2018. A fábrica alega quer já utilizou as ferramentas de flexibilização possíveis e se recusa a abrir um novo PDV (Programa de Demissão Voluntária).

“Estávamos debatendo o futuro da fábrica e, de repente, vieram os telegramas. Os trabalhadores jamais irão aceitar demissões sumárias. É preciso que respeitem a história de luta dos Metalúrgicos do ABC e da representação dos trabalhadores nesta empresa. Estamos abertos a dialogar com a empresa, mas enquanto não houver uma solução a luta vai continuar. Vamos fazer com que nos respeitem”, afirmou o coordenador.

O vice-presidente do Sindicato, Paulo Cayres, que também trabalhador na Ford, ressaltou que somente a luta e a solidariedade de todos os metalúrgicos irá garantir os postos de trabalho: “Nossa assembleia de hoje está buscando uma alternativa com respeito e dignidade. Não dá para aceitar que companheiros com mais de 15, 20 anos de casa sejam tratados desta forma”. 

O Sindicato orientou os trabalhadores que receberam os informes de demissão a não assinarem a recisão do contrato de trabalho nesta sexta, conforme a intenção da empresa. Como a Ford anunciou que vai manter a fábrica parada nas próximas segunda e terça-feira (14 e 15), o comitê sindical convocou todos os metalúrgicos para uma nova assembleia na próxima quarta-feira (16).