Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

BA: Nestlé suspende dirigente e ataca direito de organização sindical

Multinacional antecipa reforma trabalhista e ataca liberdade de organização sindical.

Escrito por: CUT Brasil, com informações de Eduardo Sodré, da Contac-CUT • Publicado em: 11/10/2017 - 23:40 • Última modificação: 13/10/2017 - 22:16 Escrito por: CUT Brasil, com informações de Eduardo Sodré, da Contac-CUT Publicado em: 11/10/2017 - 23:40 Última modificação: 13/10/2017 - 22:16

CUT-BA A foto mostra o modo como a Nestlé costuma receber os sindicalistas em sua fábrica

Na segunda-feira (2/10), a unidade de Feira de Santana (BA) da multinacional Nestlé Brasil Ltda. suspendeu o contrato de trabalho do diretor e dirigente sindical Francisco Teixeira de Araújo Neto (Cowboy), na perspectiva de demiti-lo,

A empresa, cuja planta fica na margem da Rodovia BR 324, no bairro Subaé, notificou o dirigente em sua residencia, por meio de telegrama. Francisco se encontrava de licença medica nos dias 2 e 3 de outubro, em virtude de uma virose, conforme diagnosticada em consulta no Hospítal São Matheus.

A Nestlé alega como motivo para a suspensão do contrato uma suposta "falta grave". Na verdade, a empresa não aceita as reivindicações apresentadas por Francisco, na condição de dirigente sindical, de melhorias no local de trabalho e demandas relacionadas à saúde ocupacional. Tratam-se de reivindicações definidas pela direção do sindicato e levantadas junto aos trabalhadores e trabalhadoras da empresa, incluindo os membros da CIPA,e os brigadistas.
 

Veja, no vídeo, Vagner Freitas, presidente da CUT denunciando a ação da Nestlé contra Cowboy:


A multinacional Nestlé, porém, não aceita de forma nenhuma que a direção do sindicato conteste os descasos que têm caracterizado as práticas dessa empresa no estado da Bahia.

Por diversas vezes, a direção do sindicato tentou dialogar com a empresa, tanto em reuniões internas quanto externas, além das reuniões das Cipas. Mas a empresa optou por demitir o dirigente sindical do que dialogar, o que foi um grande erro.

Diante do atual cenário, a empresa não se contentou em suspender o contrato de trabalho do dirigente conhecido como Cowboy.

A empresa também puniu com uma suspensão de 5 dias o sindicalista Marcleuber Oliveira, também dirigente sindical do Sindalimentação, diretor da FETIABA,e cipeiro da Nestlé. A medida foi uma retaliação ao fato de o dirigente ter feito uma intervenção para assegurar o acionamento da ambulância da empresa no socorro a um trabalhador que por pouco não veio a óbito.

Se a empresa está pretendendo se antecipar à reforma trabalhista, é bom que ela saiba que o movimento sindical não vai aceitar esse ataque a seus direitos históricos.

Título: BA: Nestlé suspende dirigente e ataca direito de organização sindical, Conteúdo: Na segunda-feira (2/10), a unidade de Feira de Santana (BA) da multinacional Nestlé Brasil Ltda. suspendeu o contrato de trabalho do diretor e dirigente sindical Francisco Teixeira de Araújo Neto (Cowboy), na perspectiva de demiti-lo, A empresa, cuja planta fica na margem da Rodovia BR 324, no bairro Subaé, notificou o dirigente em sua residencia, por meio de telegrama. Francisco se encontrava de licença medica nos dias 2 e 3 de outubro, em virtude de uma virose, conforme diagnosticada em consulta no Hospítal São Matheus. A Nestlé alega como motivo para a suspensão do contrato uma suposta falta grave. Na verdade, a empresa não aceita as reivindicações apresentadas por Francisco, na condição de dirigente sindical, de melhorias no local de trabalho e demandas relacionadas à saúde ocupacional. Tratam-se de reivindicações definidas pela direção do sindicato e levantadas junto aos trabalhadores e trabalhadoras da empresa, incluindo os membros da CIPA,e os brigadistas.   Veja, no vídeo, Vagner Freitas, presidente da CUT denunciando a ação da Nestlé contra Cowboy: A multinacional Nestlé, porém, não aceita de forma nenhuma que a direção do sindicato conteste os descasos que têm caracterizado as práticas dessa empresa no estado da Bahia. Por diversas vezes, a direção do sindicato tentou dialogar com a empresa, tanto em reuniões internas quanto externas, além das reuniões das Cipas. Mas a empresa optou por demitir o dirigente sindical do que dialogar, o que foi um grande erro. Diante do atual cenário, a empresa não se contentou em suspender o contrato de trabalho do dirigente conhecido como Cowboy. A empresa também puniu com uma suspensão de 5 dias o sindicalista Marcleuber Oliveira, também dirigente sindical do Sindalimentação, diretor da FETIABA,e cipeiro da Nestlé. A medida foi uma retaliação ao fato de o dirigente ter feito uma intervenção para assegurar o acionamento da ambulância da empresa no socorro a um trabalhador que por pouco não veio a óbito. Se a empresa está pretendendo se antecipar à reforma trabalhista, é bom que ela saiba que o movimento sindical não vai aceitar esse ataque a seus direitos históricos.



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.