Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Metalúrgicos fecham rodovia de acesso à Suape em protesto por reajuste salarial

Presidente da CUT-PE, Carlos Veras, destacou assédio moral e descumprimento de acordos

Escrito por: Sindmetal-PE • Publicado em: 08/01/2018 - 11:51 • Última modificação: 08/01/2018 - 12:16 Escrito por: Sindmetal-PE Publicado em: 08/01/2018 - 11:51 Última modificação: 08/01/2018 - 12:16

Sindmetal-PE

Os trabalhadores do EAS, associados ao Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos (Sindmetal-PE), filiado à CUT Pernambuco, realizaram um protesto na manhã desta segunda-feira (08/01) reivindicando o pagamento do reajuste negociado e acordado durante a campanha salarial em setembro que não foi pago até agora; contra a prática de assédio moral, os constantes acidentes de trabalho e demissões de pessoas doentes e mais velhas, que mostram o desrespeito aos trabalhadores.

A manifestação que fechou os dois sentidos da rodovia de acesso a Suape, na Curva do Boi, denunciou os desmandos do Estaleiro Atlântico Sul (EAS], que funciona dentro do Complexo Portuário de Suape, e expôs a ineficiência das chefias.

“Paralisamos as atividades no Atlântico Sul nessa segunda-feira porque são muitas as demissões,  assédio moral e descumprimento de acordos aprovados em mesa de negociação o ano passado”, explicou o presidente da CUT- Carlos Veras, que esteve presente ao protesto em apoio à luta da classe trabalhadora. 

Segundo Veras, “os patrões travaram a pauta de negociação e não dão respostas aos representantes dos trabalhadores.”

O presidente do Sindmetal-PE, Henrique Gomes, declarou que a luta se faz ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras. Segundo ele, além de não ter dado o reajuste do tíquete acordado na Campanha Salarial desde setembro, a gestão do EAS tem cometido assédio moral, faz “vista grossa” para os acidentes de trabalho constantes, entre outros absurdos. 

“Não vamos permitir que a nossa categoria seja humilhada e desvalorizada. Estamos unidos por nenhum direito a menos”, enfatizou Gomes.

Título: Metalúrgicos fecham rodovia de acesso à Suape em protesto por reajuste salarial, Conteúdo: Os trabalhadores do EAS, associados ao Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos (Sindmetal-PE), filiado à CUT Pernambuco, realizaram um protesto na manhã desta segunda-feira (08/01) reivindicando o pagamento do reajuste negociado e acordado durante a campanha salarial em setembro que não foi pago até agora; contra a prática de assédio moral, os constantes acidentes de trabalho e demissões de pessoas doentes e mais velhas, que mostram o desrespeito aos trabalhadores. A manifestação que fechou os dois sentidos da rodovia de acesso a Suape, na Curva do Boi, denunciou os desmandos do Estaleiro Atlântico Sul (EAS], que funciona dentro do Complexo Portuário de Suape, e expôs a ineficiência das chefias. “Paralisamos as atividades no Atlântico Sul nessa segunda-feira porque são muitas as demissões,  assédio moral e descumprimento de acordos aprovados em mesa de negociação o ano passado”, explicou o presidente da CUT- Carlos Veras, que esteve presente ao protesto em apoio à luta da classe trabalhadora.  Segundo Veras, “os patrões travaram a pauta de negociação e não dão respostas aos representantes dos trabalhadores.” O presidente do Sindmetal-PE, Henrique Gomes, declarou que a luta se faz ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras. Segundo ele, além de não ter dado o reajuste do tíquete acordado na Campanha Salarial desde setembro, a gestão do EAS tem cometido assédio moral, faz “vista grossa” para os acidentes de trabalho constantes, entre outros absurdos.  “Não vamos permitir que a nossa categoria seja humilhada e desvalorizada. Estamos unidos por nenhum direito a menos”, enfatizou Gomes.



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.