Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

MST ocupa fazenda devedora de ICMS para montar assentamento ecológico

Cerca de 200 famílias ocuparam a fazenda Martinópolis, em Serrana, interior de São Paulo

Escrito por: Redação RBA  • Publicado em: 05/02/2018 - 10:43 • Última modificação: 05/02/2018 - 10:45 Escrito por: Redação RBA  Publicado em: 05/02/2018 - 10:43 Última modificação: 05/02/2018 - 10:45

Cerca de 200 famílias do Acampamento Alexandra Kollontai ocuparam na manhã de hoje (3) a fazenda Martinópolis, município de Serrana, na região de Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

A área já foi ocupada mais de 20 vezes, mas, desta vez, o objetivo é anunciar para a sociedade sua conquista por parte do MST. Até então, a fazenda pertencia à Usina Martinópolis, que por anos seguidos acumulou dívida milionária por sonegação de imposto – ICMS, o que motivou o processo que dura cerca de nove anos, de luta do MST pela área.

O governador Geraldo Alckmin assumiu compromisso formal de arrecadação da área por meio de adjudicação e na última quinta-feira (1º) o juízo da vara de execuções fiscais da comarca de Ribeirão Preto decidiu pela arrecadação do imóvel.

O MST planeja fazer um assentamento agroecológico no local que está sobre área de recarga do Aquífero Guarani. “Chega de veneno de cana dos ruralistas e empreendimentos imobiliários sem nenhuma preocupação ambiental e social! Lutar, construir Reforma Agrária Popular”, afirma o movimento em nota à imprensa.

Título: MST ocupa fazenda devedora de ICMS para montar assentamento ecológico, Conteúdo: Cerca de 200 famílias do Acampamento Alexandra Kollontai ocuparam na manhã de hoje (3) a fazenda Martinópolis, município de Serrana, na região de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. A área já foi ocupada mais de 20 vezes, mas, desta vez, o objetivo é anunciar para a sociedade sua conquista por parte do MST. Até então, a fazenda pertencia à Usina Martinópolis, que por anos seguidos acumulou dívida milionária por sonegação de imposto – ICMS, o que motivou o processo que dura cerca de nove anos, de luta do MST pela área. O governador Geraldo Alckmin assumiu compromisso formal de arrecadação da área por meio de adjudicação e na última quinta-feira (1º) o juízo da vara de execuções fiscais da comarca de Ribeirão Preto decidiu pela arrecadação do imóvel. O MST planeja fazer um assentamento agroecológico no local que está sobre área de recarga do Aquífero Guarani. “Chega de veneno de cana dos ruralistas e empreendimentos imobiliários sem nenhuma preocupação ambiental e social! Lutar, construir Reforma Agrária Popular”, afirma o movimento em nota à imprensa.



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.