Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Ocupação do MTST no ABC paulista sofre atentado a tiros

Ocupantes são alvo de tiros de arma de fogo partidos de condomínio de alto padrão vizinho ao terreno ocupado.

Escrito por: CUT Brasil • Publicado em: 16/09/2017 - 23:51 • Última modificação: 17/09/2017 - 23:03 Escrito por: CUT Brasil Publicado em: 16/09/2017 - 23:51 Última modificação: 17/09/2017 - 23:03

MTST

Na tarde deste sábado (16), a ocupação Povo Sem Medo de São Bernardo do Campo, que conta com mais de 6.500 famílias, sofreu um atentado com tiros de arma de fogo vindos de um morador de condomínio de alto padrão que fica ao lado do terreno.

O ocupante Audinei Serapião da Silva foi atingido com um tiro no braço e encaminhado ao Pronto Socorro Central de São Bernardo.

Segundo nota divulgada pela coordenação do movimento, "atitudes criminosas de intolerância como esta só agravam o conflito. O MTST registrará nesta noite Boletim de Ocorrência no 3º DP de São Bernardo. Exigimos a identificação e a punição do autor do atentado. Além de moradores do referido condomínio, que tem semeado o ódio contra a ocupação, responsabilizamos o prefeito Orlando Morando, que tem apostado no enfrentamento e inflado posturas como esta. O MTST não se intimidará. Não recuaremos um só passo na legítima luta por moradia desta ocupação".

Em resposta ao atentado, o MTST convocou um grande ato de solidariedade, neste domingo (17), as 17hs, no terreno da ocupação.

Segundo Guilherme Boulos, em video divulgado na internet na noite de sábado (16), "foram tiros vindos de um condomínio que fica ao lado da ocupação. Tiros de gente intolerante que não consegue conviver com pobres ao lado. Foi brutal". Segundo o relato de Boulos, uma pessoa foi atingida pelos disparos, mas ficou ferida sem gravidade. A área ocupada tem 60 mil metros quadrados, localizada no bairro do Planalto, pertence à incorporadora MZM e está ocupada desde o início do mês.

O líder do MTST atribuiu responsabilidade pelo ataque ao prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), que estaria "alimentando" esse tipo de enfrentamento.

"Se pensam que vão intimidar a luta por moradia, estão profundamente enganados. O movimento não vai recuar um único passo por conta desses gestos. A ocupação é uma luta legítima por moradia e por direitos sociais", afirmou.

Intolerância

Na manhã de sábado (16), em São Bernardo do Campo, algumas centenas de pessoas participaram de manifestação contra a decisão do TJ-SP de suspender a reintegração de posse do terreno ocupado pelo MTST. A imprensa privada apresentou como líder desse movimento o auditor Marcelo Mendes Vicente, supostamente síndico do prédio de onde particram os tiros contra o acampamento.

Marcelo foi denunciado na página do MTST no Facebook, por ter públicado um post com ameaças veladas contra a ocupação.

 

Veja abaixo o video denúncia de Guilherme Boulos, divulgado no fim da tarde de sábado (16)

Título: Ocupação do MTST no ABC paulista sofre atentado a tiros, Conteúdo: Na tarde deste sábado (16), a ocupação Povo Sem Medo de São Bernardo do Campo, que conta com mais de 6.500 famílias, sofreu um atentado com tiros de arma de fogo vindos de um morador de condomínio de alto padrão que fica ao lado do terreno. O ocupante Audinei Serapião da Silva foi atingido com um tiro no braço e encaminhado ao Pronto Socorro Central de São Bernardo. Segundo nota divulgada pela coordenação do movimento, atitudes criminosas de intolerância como esta só agravam o conflito. O MTST registrará nesta noite Boletim de Ocorrência no 3º DP de São Bernardo. Exigimos a identificação e a punição do autor do atentado. Além de moradores do referido condomínio, que tem semeado o ódio contra a ocupação, responsabilizamos o prefeito Orlando Morando, que tem apostado no enfrentamento e inflado posturas como esta. O MTST não se intimidará. Não recuaremos um só passo na legítima luta por moradia desta ocupação. Em resposta ao atentado, o MTST convocou um grande ato de solidariedade, neste domingo (17), as 17hs, no terreno da ocupação. Segundo Guilherme Boulos, em video divulgado na internet na noite de sábado (16), foram tiros vindos de um condomínio que fica ao lado da ocupação. Tiros de gente intolerante que não consegue conviver com pobres ao lado. Foi brutal. Segundo o relato de Boulos, uma pessoa foi atingida pelos disparos, mas ficou ferida sem gravidade. A área ocupada tem 60 mil metros quadrados, localizada no bairro do Planalto, pertence à incorporadora MZM e está ocupada desde o início do mês. O líder do MTST atribuiu responsabilidade pelo ataque ao prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), que estaria alimentando esse tipo de enfrentamento. Se pensam que vão intimidar a luta por moradia, estão profundamente enganados. O movimento não vai recuar um único passo por conta desses gestos. A ocupação é uma luta legítima por moradia e por direitos sociais, afirmou. Intolerância Na manhã de sábado (16), em São Bernardo do Campo, algumas centenas de pessoas participaram de manifestação contra a decisão do TJ-SP de suspender a reintegração de posse do terreno ocupado pelo MTST. A imprensa privada apresentou como líder desse movimento o auditor Marcelo Mendes Vicente, supostamente síndico do prédio de onde particram os tiros contra o acampamento. Marcelo foi denunciado na página do MTST no Facebook, por ter públicado um post com ameaças veladas contra a ocupação.   Veja abaixo o video denúncia de Guilherme Boulos, divulgado no fim da tarde de sábado (16)



Informa CUT

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.